Açaí e seu primo, juçaí, podem sim fazer parte de programas de emagrecimento

 

Batidos com proteína, ajudam na reposição de energia e recuperação muscular no pós-treino

 

Açaí e juçaí têm sabor parecido, cor arroxeada, propriedades e forma de consumo semelhantes, mas são alimentos de origem diferentes: os dois são frutos de uma palmeira, mas a do açaí é o açaizeiro, típico da Floresta Amazônica, e da do Juçaí é a juçara, natural da Mata Atlântica.

Ambos podem fazer parte de um estilo de vida saudável e podem estar em programas alimentares para redução de peso, desde que haja equilíbrio na forma de preparo e quantidade consumida. Como lanche intermediário, podem ser misturado com frutas. Mas evite acrescentar xarope de guaraná e limite a porção para entre 200 ml e 300 ml.

 

São excelentes fontes de energia, com grande quantidade de lipídeos, menor quantidade de carboidratos e cheios de antioxidantes. Auxiliam no combate aos radicais livres, retardam do envelhecimento precoce, estimulam o sistema imunológico, têm ação anti-inflamatória, efeito vasodilatador e de proteção cardiovascular.

 

Para repor energia após o treino

 

No esporte, o uso no pré-treino não é indicado por terem grande quantidade de gordura, com uma absorção mais lenta do que as fontes de carboidratos.

 

No pós-treino, podem ser batidos com proteína (vegetal, whey...) como repositores energéticos e com proteínas para recuperação muscular.

 

Excelentes fontes de antioxidantes, ajudam a combater os radicais livres formados pelo alto consumo de oxigênio e prática esportiva.

 

Formas de consumo

 

Na região Sudeste, costuma-se utilizar as polpas em preparações doces: sorvetes, sucos e iogurtes. A polpa é associada a xarope de guaraná, frutas, oleaginosas (castanha, amêndoas...), mel, whey protein e cereais. Evite a adição de leite em pó, leite condensado, paçoca. É preciso muito cuidado ao preparo para não se tornar uma bomba calórica.

 

Na região norte é comum ser consumido puro ou acompanhando a alimentação salgada com tapioca, farinha, peixe ou camarão. Também é encontrado na forma de sucos, sorvetes, doces, geleias a até vinho de açaí.

 

O açaí em detalhes

 

Fruta rica em “gorduras boas” - ácidos graxos, monoinsaturadas (60% - ômega 9 – ácido oleico) e poliinsaturadas -, ômega 6, proteínas, fibras, potássio, cálcio, vitamina B1, Vitamina E, antocianinas e fitoesterol. Cada porção de 100 g de açaí tem 7,76 g de proteína, 1,02 g de carboidratos e 13,1 g de lipídeos.

 

Pertence à família Euterpe oleracea e é proveniente da região Amazônica, principalmente dos estados do Pará, Acre, Amazonas, Amapá, Tocantins e Maranhão.

 

O juçaí em detalhes

 

Fonte de lipídeos, rico em minerais como potássio, ferro e zinco e em antocianinas (o fruto tem cerca de três vezes mais antocianina que o açaí), substância que tem propriedades antioxidantes. Cada porção de 100 g de juçaí tem 6,72 g de proteína, 1,21 g de carboidratos e 13,8 g de lipídeos.

 

Proveniente da palmeira juçara, pertence à família Arecaceae, tem como origem a Mata Atlântica nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

 

 

* As informações e opiniões emitidas neste texto são de inteira responsabilidade do autor, não correspondendo, necessariamente, ao ponto de vista do Globoesporte.com / EuAtleta.com.

 

Nutricionista formada pela UFRJ e pós-graduada em obesidade e emagrecimento. Tem especialização em nutrição clínica pela UFF, especialização em nutrição esportiva pela Universidade Estácio de Sá e trabalha com consultoria e assessoria na área de nutrição. (Foto: EuAtleta)

 

Please reload

Posts Em Destaque

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo