4 desafios extremos de bike para expandir os limites da sua forma física

Teste sua capacidade fitness em 2019 nas competições mais loucas de ciclismo

 

 

Se você está pronto para aumentar os limites de sua forma física e mental, uma ótima maneira de fazer isso é traçar uma meta de participar de desafio extremos em cima de uma bicicleta. Por isso, nada mais estimulante do que conhecer alguns dos locais mais belos e inóspitos do planeta e ainda colocar à prova sua capacidade fitness. Para ajudar nesta missão, conversamos com algumas pessoas que já concluíram esses desafios.

 

1. Transcontinental

  • Quando: 26 de Julho de 2019

  • Onde: De Burgas (Bulgária) a Brest (França)

  • Distância: De 3 mil a 4 mil quilômetros

  • Site oficial

Esta corrida de ultrarresistência vai desafiá-lo tanto pelo aspecto físico, como mentalmente, enquanto os competidores pedalam por toda a Europa numa bicicleta de estrada sem apoio externo, transportando tudo o que precisam. O percurso varia de 3 a 4 mil quilômetros e pode levar de 10 dias a três semanas para concluir. Você pode competir sozinho ou em duplas, mas ser autossustentável é fundamental nesta corrida.

 

Wiesia Kuczaj participou da Transcontinental em agosto de 2017. Com o mínimo de treinamento e experiência em "bike-packing", ela completou o desafio em 17 dias. Este é o conselho dela:

 

"Eu nunca passei tanto tempo sozinha, dentro da minha própria cabeça. Você vê as paisagens mais incríveis e é só você, a bicicleta e o ambiente ao seu redor. Eu pensei que me sentiria sozinha, mas não me senti. O maior desafio é ser auto-suficiente; eu levei muita coisa e acabei jogando fora metade disso no segundo dia! Você pode definir suas próprias expectativas e metas, mas se algo acontecer fora do seu controle - como uma onda de calor - talvez você não consiga atingir suas expectativas pré-definidas, por isso aprenda a reajustar seus objetivos e continue tentando."

 

2. Yak Attack

  • Onde: 9 a 20 de Novembro de 2019

  • Onde: Nepal

  • Distância: 280 km, 9 mil metros de altimetria acumulada (subidas)

  • Site oficial

Os visuais que você obtém na “corrida de mountain bike mais alta do mundo” valem o risco de enjôo na altitude. Durante esta competição de cinco dias, você alcançará alturas estonteantes de 5 mil metros acima do nível do mar e cruzará os impressionantes montanhas dos Himalaias. Independentemente do que você esteja buscando nesta prova, seja um bom resultado ou uma experiência de vida, você pode mergulhar profundamente em sua mente e em seu corpo para superar os desafios gerados pelo ambiente extremo.

 

Atleta experiente no Enduro World Series Rachael Walker do time Hope Team Racing colocou seu conhecimento, força mental e capacidade fitness à prova neste desafio em 2016. Veja o que ela tem a dizer:

 

"Na Yak Attack você pedala cercado por montanhas imponentes em todas as direções, do tipo que você tem que esticar o pescoço para ver o pico. A jornada leva você através de algumas das aldeias e comunidades mais remotas. O elemento mais difícil é a altitude. No ano em que fiz a Yak Attack, não ficamos abaixo de 3.800m durante seis dias. É difícil imaginar o quão difícil é a respiração. O oxigênio era tão escasso nos níveis em que estávamos, em que no momento em que você começa a mexer seu corpo um pouco, você já fica ofegante pedindo por mais oxigênio e sua frequência cardíaca dispara! Eu recomendo usar uma tenda de altitude para dormir durante a preparação para o evento."

 

3. Megavalanche

  • Quando: 8 a 14 de Julho de 2019

  • Onde: L'Alpe d'Huez (Alpes Franceses)

  • Distância: 4 mil metros de desnível altimétrico (descidas)

  • Site oficial

Este é um dos eventos de bike mais loucos do planeta, que atrai pilotos profissionais e amadores. É uma corrida de downhill (descida de montanha), com largada coletiva no topo da geleira de Alpe d'Huez em que os atletas enfrentam quase todo tipo de terreno pela frente, como neve, cascalho, pedras, raízes, lama e calor humano compartilhado pelos 400 competidores que buscam chegar até a base da montanha o mais rápido possível. A Megavalanche tem o astral de festival, então vale a pena ir para curtir diversos pedais na região, além da corrida em si.

 

Glenroy Martin já correu a Megavalanche várias vezes. Normalmente um piloto de downhill está acostumado a competir por cinco minutos, mas neste desafio, a descida dura uma hora, por isso, veja fica a dica sobre o evento: “É uma grande aventura desde o topo da montanha até a sua base, devido ao grande número de pessoas e a variedade de terreno. Você nunca sabe o que vai realmente acontecer durante a prova. A parte mais difícil da corrida é 100% na neve, já que descer na geleira pode significar acelerar sobre o pó da neve ou tentar manter o equilíbrio sobre o gelo sólido e escorregadio. Se você está pensando em participar do evento, leve peças de reposição para sua bike, pois você estará prestes a quebrar alguma coisa.”

 

4. IncaDivide

  • Quando: 14 a 23 de agosto de 2019

  • Onde: Trujillo, Peru

  • Distância: 1.650 km e 23,5 mil metros de altimetria acumulada (subidas)

  • Site oficial

Os apreciadores do bikepacking podem provar e explorar uma das regiões mais espetaculares da América do Sul, que começa pelo deserto de dunas da costa até a mítica Cordilheira Branca, que esconde os mais altos picos do Peru. A IncaDivide é uma corrida sem suporte realizada no coração do império Inca. Uma experiência que combina pedaladas por asfalto e cascalho, em paisagens de tirar o fôlego, literalmente.

 

Breno Bizinoto participou da IncaDivide em 2018 com uma mountain bike, único atleta do pelotão de 35 com este tipo de bike, que relata toda sua jornada no vídeo acima:

 

“A largada foi num domingo, mas ninguém sabia quando iria terminar. O tempo limite são 12 dias, mas não tem etapa definida pela organização. Cada um pedala quanto fosse possível. O principal desafio foi pedalar sem qualquer tipo de suporte, um desafio mental que é preciso tomar decisões e suas consequências. Minha estratégia foi pedalar e atacar sem olhar para trás, o que me deu força até o último segundo. Dos 35 que largaram, somente 19 completaram e cheguei em quinto. Foi demais para mim e minha bicicleta que era considerada o patinho feio.”

 

Para saber mais sobre o universo da bicicleta, siga a página Red Bull Bike

 

 

Please reload

Posts Em Destaque

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo