Melhore sua vida com microaventuras

 
Você pode mudar a sua chata rotina e não precisa de muito

 

“O que há de novo?”

 

Por muito tempo essa tentativa educada de iniciar uma conversa foi a minha criptonita. Pode parecer inofensivo e amigável, mas para mim soa vagamente como um desafio. Algo como: A sua vida é interessante ou não? Antes de responder, eu tentava relembrar os meus últimos dias e a minha rotina: levar as crianças para a escola, corrida no horário do almoço, pilhas de e-mails, jantar, histórias de dormir, escovar os dentes e apagar as luzes. A falta de boas lembranças imediatas me levavam à mesma temida resposta – “Nada demais, e você, alguma novidade?” – seguida por uma breve crise existencial. Não há nada de novo acontecendo comigo?

 

Como editor do Outside USA, eu trabalho em um lugar onde sou inundado por viagens legais e aventuras inspiradoras, mas passo muitas horas lamentando o fato de não ter tempo de embarcar em nenhuma delas. Então um amigo me indicou o site da Alastair Humphreys.Viajante, autor e palestrante motivacional, Humphreys é adepto das microaventuras, passeios rápidos que oferecem “algo diferente, algo excitante – mas barato, simples, curto e próximo a você.” Sair para acampar com amigos; Correr o seu trajeto diário em vez de entrar no carro; Uma caminhada em uma noite de lua cheia em sua trilha favorita. O blog de Humphreys é cheio de ideias para experiências novas sem sobrecarregar a rotina.

 

Inspirado, peguei as crianças depois do trabalho num fim de tarde de sexta-feira, comprei uma pizza e os levei para uma área alta atrás de nossa casa. Olive, 6 e Cash, 4, reclamaram o tempo todo, mas, uma vez alimentados, assistimos a um pôr do sol épico, e eles estavam rindo por todo o caminho. O passeio improvisado pareceu recalibrar o fim de semana.

 

Na semana seguinte, eu os levei para a escola por uma nova rota que passa próxima ao leito seco do rio, onde pegamos pedras ao longo do caminho; Depois de uma nevasca, fui até a estação de esqui de Santa Fé em uma manhã de segunda-feira antes do trabalho; Chamei sete amigos para se juntarem a mim em uma noite de quarta-feira, para subir dois dos morros mais íngremes de Santa Fé, Picacho e Atalaya, de frente para o farol. No topo deste último, nós apreciamos a paisagem com sorrisos orgulhosos, as luzes da cidade brilhando atrás de nós, sentindo como se estivéssemos nos safando com alguma coisa.

 

No dia seguinte ao Dia de Ação de Graças, em vez de usar o longo fim de semana para relaxar, levei Olive e Cash duas horas para o sul até a cidade de Socorro, no Novo México, para ver milhares de grous que migram a cada ano para o Bosque del Apache. Eu queria ver esse espetáculo por dez anos, mas nunca consegui encontrar o melhor momento.

 

Cada uma dessas microaventuras foram baratas e rápidas, mas eu me lembro de todas elas distintamente. Eu sou mais feliz? Provavelmente. Estudos mostraram que os seres humanos são programados para se aventurar; quando fazemos escolhas desconhecidas, nossos cérebros nos recompensam liberando dopamina, um neurotransmissor-chave que produz emoções positivas.

 

Ao inserir apenas uma ou duas microaventuras por semana, encontrei uma maneira de marcar o tempo em vez de apenas registrá-lo.

 

*Texto publicado originalmente na Outside USA.

Please reload

Posts Em Destaque

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo