Ciclista morre após ser atropelado por ônibus na Barra da Tijuca, no Rio

 

O empresário Artur Vinícius Sales, de 43 anos, morreu, na manhã desta terça-feira, após ser atropelado por um ônibus da Turismo Três Amigos próximo ao Parque Olímpico, na Avenida Embaixador Abelardo Bueno, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio. Ele participava de um treinamento de bicicleta e estava acompanhado por outros ciclistas quando foi atingido.

 

Artur foi socorrido por equipes do Corpo de Bombeiros e levado para o Hospital municipal Lourenço Jorge, também na Barra. Mas, de acordo com a Secretaria municipal de Saúde, ele chegou morto à unidade. O empresário deixa uma filha de 3 anos e a mulher, a advogada e blogueira Erika Palmer, que está grávida de 3 meses.

 

Erika e os pais de Artur passaram mal no hospital e foram para casa, na Barra da Tijuca, sob cuidados médicos. Amigos que ficaram no local para liberar o corpo disseram que ele será cremado, provavelmente nesta quarta-feira, no Memorial do Carmo, no Caju, Zona Portuária do Rio.

 

No momento do acidente, Artur treinava com outros 50 ciclistas da assessoria esportiva BV, da qual fazia parte há 4 anos. O professor de educação física Roberto Vitorio, dono da assessoria, acompanhava o pelotão e presenciou o acidente. Segundo ele, os ciclistas pedalavam na pista quando o ônibus, que queria parar num ponto, fechou o grupo e atropelou o empresário:

 

– Ele ia parar no ponto e, ao invés de reduzir a velocidade, veio na pista tirando fino do nosso grupo, sem respeitar a lei (o artigo 201 do Código de Trânsito Brasileiro) que exige que, para ultrapassar um ciclista, o condutor esteja a 1,5 metro de distância. Se o motorista do ônibus tivesse esperado 10 segundos para nós passarmos, esse acidente não teria acontecido.

 

Roberto relatou que, quando os bombeiros chegaram ao local, mais de 30 minutos após o acidente, Artur ainda respirava:

 

– Ele estava respirando, mas não conseguia se mexer. Pedimos a ele para ficar calmo. Quando os bombeiros chegaram, tentaram reanimá-lo, mas, infelizmente, na ambulância, ele acabou morrendo.

 

Miguel Lasalve, presidente da Comissão de Segurança no Ciclismo no Rio, destacou que esta foi a quinta morte de ciclistas de alto rendimento na cidade desde 2013, quando Pedro Nikolay foi morto na Zona Sul, o que gerou uma mobilização na classe por legislação protetiva.

Mapa do local do acidente

 

– A ciclovia é via de transporte quando o ciclista pedala a até 20km/h. Acima disso, precisamos estar na rua e ter segurança para isso – frisou Lasalvia.

 

Segundo o Centro de Operações Rio, a Avenida Abelardo Bueno tem uma faixa bloqueada. O acidente foi na altura do Parque Olímpico, no sentido Avenida Ayrton Senna.

 

Em nota, a Turismo Três Amigos lamentou o acidente. A empresa afirma que ônibus estava dentro do limite de velocidade e se coloca à disposição das autoridades:

 

“A Turismo Três Amigos lamenta o acidente ocorrido nesta manhã, dia 19/03/2019 envolvendo um coletivo de sua frota e um ciclista. O carro da empresa trafegava dentro do limite de velocidade permitida para a via naquele local, bem como na faixa permitida, e o motorista do coletivo permaneceu no local, acionando socorro e aguardando a chegada da autoridade policial para registro do acidente. A empresa se coloca à disposição das autoridades para esclarecer as circunstâncias do lamentável acidente”.

Please reload

Posts Em Destaque

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo