Ciclismo e a internet das coisas

Novos sistemas eletrônicos ditam a tendência das bicicletas de alto rendimento

 

Na era da conectividade, a internet das coisas já chegou ao mercado da bicicleta com o lançamento global dos novos componentes eletrônicos SRAM eTAP AXS. O conceito "IoT" se refere à interconexão digital de objetos dotados de tecnologia, sensores e conexão com a rede, capazes de coletar e transmitir dados.

 

Tudo isso já está disponível ao público brasileiro que é fã de ciclismo. Muito além de e-bikes e aplicativos de monitoramento de treinos, como o Strava, a tendência é a inteligência artificial no sistema de transmissão das bikes, como apresentaram as marcas norte-americanas Specialized e SRAM sobre o novo sistema para trocas de marchas eletrônicas, presentes nas estradeiras S-Works Tarmac e S-Works Venge, disponíveis em 18 lojas espalhadas pelo Brasil.

 

O conceito é oferecer tecnologia com simplicidade ao ciclista. Com isso, o novo grupo SRAM Red eTAP AXS oferece uma amplitude de marchas maior e progressão, totalmente conectado ao ciclista, literalmente, para que você esteja sempre na marcha certa, resultando um treino silencioso, seguro e suave, seja qual for o terreno. A plataforma AXS também está disponível para o MTB nos grupos Eagle.

 

“Tive a oportunidade de testar os novos componentes e destaco três pontos: versatilidade, silêncio e a integração (conectividade)”- comenta Gonçalo Costa, diretor comercial e especialista em produtos da Specialized Brasil.

 

O conceito SRAM AXS é a plataforma de integração de componentes conectados, com relação de marchas com 12 velocidades atuando com uma coroa no pedivela (1X “one by”) ou duas (2X “two by”), em que apenas um câmbio traseiro para todas as configurações de cassetes e coroas.

 

“A amplitude da transmissão da nova plataforma AXS é a garantia do ciclista estar sempre na marcha certa” – acrescenta Gonçalo, que refere-se à relação das coroas do pedivela combinado com as opções de pinhões do cassete, que oferece um alcance maior de marchas comparado à concorrência: Pedivelas X-Range: 50/37; 48/33; 46/33 e Cassetes: 10-26d; 10-28d; 10-33d.

 

Outro destaque “é o silêncio dos componentes que permitem o puro prazer de pedalar uma bicicleta sem ruídos incômodos e, assim, focar no trajeto” – afirma Gonçalo. “São inúmeras inovações tecnológicas, como o estabilizador de corrente Orbit do câmbio traseiro, corrente com perfil de borda plana para maior precisão e menos ruído, o método de construção do cassete sem pinos ou aranhas que deixou o peso final mais leve, coroas x’sync, freios a disco com bordas arredondadas...” – complementa Rodrigo Braga, da empresa Proparts responsável pelo posicionamento da SRAM no Brasil, durante sua apresentação na sede da Specialized em São Paulo.

 

Por fim, destaque para a integração e a conectividade do grupo SRAM eTap AXS: “nós aprendemos através das informações fornecidas pelas tecnologias” – diz Gonçalo. “O eTAP AXS oferece recursos de conectidade concebidos para simplificar a vida do ciclista, em que através do APP AXS é possível customizar os componentes da bike, desde por exemplo o conhecimento da carga das baterias, detalhes da transmissão eletrônica e até personalizar os comandos, seja dos câmbios, canote retrátil e outros recursos” – adiciona Braga.

 

Please reload

Posts Em Destaque

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo