Estudo revela a dieta da tribo com a menor taxa de doença cardíaca do mundo

November 8, 2018

 

Veja quais alimentos e fatores influenciam na saúde de uma tribo da Bolívia

 

Os povos indígenas da tribo Tsimane, que vivem na bacia amazônica da Bolívia, têm as taxas mais baixas de doenças cardiovasculares já mensuradas em uma população humana.

 

 

De acordo com cientistas da Universidade da Califórnia em Santa Bárbara (UCSB), os Tsimane também têm uma prevalência notavelmente baixa de pressão alta e diabetes tipo 2, apesar de estarem longe dos índices médios de massa corporal (IMC).

 

Em busca de entender os fatores por trás do extraordinário bem-estar coletivo da tribo, a equipe tem coletado dados, através de visitas de campo as suas aldeias de terras baixas tropicais, desde 2002. A pesquisa resultou no artigo publicado no American Journal of Clinical Nutrition.

 

Através de quase 2.500 entrevistas de acompanhamento de dieta com o povo Tsimane em 78 comunidades, os cientistas descobriram que a dieta típica é dominada por uma alta ingestão de carboidratos (376-423 gramas / dia) e proteína (119-139 g / d) e uma baixa ingestão de gorduras (40-46 g / d).

 

O consumo calórico total por dia foi entre 2422 e 2736 kcal, 64 por cento dos quais foram de carboidratos complexos. Embora esse número esteja na faixa mais alta que nós ocidentais estamos acostumados a ouvir – 1600 a 2.400 kcal / dia para mulheres adultas e 2.000 a 3.000 kcal / dia para homens, segundo as recomendações do USDA – os pesquisadores enfatizam que os membros da tribo estão longe menos sedentário do que a média humana moderna.

 

“Eles também são fisicamente ativos – não por exercícios rotineiros, mas por usarem seus corpos para adquirir comida de seus campos e da floresta”, disse Michael Gurven, co-diretor do Projeto de Saúde e Vida da UCSB Tsimane e principal autor do estudo ao site IFL Science, “o que também é uma lição importante. Você não pode olhar para o que você está comendo, independentemente do que você está fazendo com o seu corpo.”

 

A diversidade alimentar foi considerada bastante baixa em comparação com a dieta média dos norte-americanos. No entanto, isso não foi surpreendente, uma vez que os Tsimane são forragicultura-horticultores e tem como base alimentos silvestres e plantações de banana, mandioca, arroz e milho.

 

Os pesquisadores também descobriram que a ingestão total de carboidratos aumentou nos últimos de cinco anos, particularmente em aldeias localizadas perto de cidades desenvolvidas com mercados.

 

Devido a essa aproximação com as cidades, a pesquisa também concluiu que, infelizmente, todos os sinais indicam que as taxas de doenças cardiovasculares e diabetes entre os Tsimane vão aumentar em breve, à medida que sua dieta está se aproximando cada vez mais da dos bolivianos tradicionais.

 

 

Please reload

Posts Em Destaque

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo