Tour: quem leva os mais de 2 milhões de euros da premiação

 

Um repórter peguntou certa vez a Nelson Piquet atrás do quê os pilotos de Fórmula 1 corriam. “Atrás da grana”, respondeu de imediato. Sim, o bolso é uma das partes mais sensíveis do ser humano e os mais de dois milhões de euros de premiação do Tour de France certamente é um estímulo para todos darem o seu melhor.

 

O Tour é um dos eventos esportivos que mais premia. Só para se ter uma ideia, o campeão e a campeã de Wimbledon embolsam 2.200.000,00 libras esterlinas (cerca de R$ 9,5 milhões). Este ano a prova francesa vai distribuir um total de 2.285.950,00 de euros, o equivalente a R$ 8,6 milhões. O valor é um pouco inferior ao do ano passado, já que neste ano haverá menos metas de subidas categorizadas que valem dinheiro.

 

Além do vencedor geral, existem muitos prêmios distribuídos e todo ciclista que termina a corrida ganha um bônus em dinheiro. Este ano o campeão da classificação individual vai levar para casa meio milhão de euros. O valor é o mesmo do ano passado e 50 mil euros a mais que em 2015. O vice-campeão geral fica com 200 mil euros e o terceiro 100 mil euros. Do 4º ao 19º o prêmio vai decrescendo de 70 mil euros até o 1.100 euros para o 19º. Todos os demais finalistas recebem mil euros pela participação.

 

Vale lembrar que o ciclismo é um esporte coletivo e todo prêmio é dividido entre todos da equipe, incluindo massagistas, mecânicos e outros membros da equipe.

 

O campeão de montanha e o campeão por pontos embolsam 25 mil euros e o campeão novato (Sub-26) recebe 20 mil euros. O vice-campeão destas camisas recebe 15 mil euros e o terceiro colocado fatura 10 mil euros.

 

Há também um prêmio de 500 euros para cada dia com a camisa amarela de líder, a célebre maillot jeune. No ano passado, o britânico Chris Froome embolsou 7 mil euros só pelo uso da camisa de líder, Mark Cavendish faturou 500 euros, Peter Sagan e Greg van Avermaet  1.500 euros cada. Os líderes das demais camisas (branca de novato, vermelha com bolas brancas – a polka dot – de líder de montanha e a verde de pontos) recebem cada um 300 euros por dia de uso.

 

O prêmio de montanha varia em função da dificuldade da escalada. Este ano, o percurso traz sete subidas HC (hors concours), que pagam 800 euros para o primeiro colocado. São 11 subidas de categoria 1 que vão render 650 euros para o primeiro, 5 subidas de categoria 2 (500 euros), 14 escaladas de categoria 3 (300 euros) e 16 subidas de categoria 4 que pagam 200 euros para o vencedor. Este ano, algumas subidas HC vão pagar um bônus extra, como a escalada do Col du Galibier na sétima etapa, vai premiar com 5 mil euros o primeiro que cruzar a meta a 2.645 metros sobre o nível do mar.

 

A premiação para a meta volante (ou sprint intermediário) é de 1.500 euros para o vencedor, 1 mil para o segundo e 500 euros para o terceiro colocado.

 

Logicamente há também prêmio por vitória em etapa. O vencedor de cada dia fatura 11 mil euros, o segundo 5.500 euros e o terceiro 2.800. Tem premiação até o 20º colocado, que ganha 300 euros. O melhor novato (Sub-26) de cada etapa fatura 500 euros.

 

Diariamente também é dado um prêmio de 2 mil euros para o ciclista considerado mais combativo. No final do Tour, há um prêmio de 20 mil para o atleta mais combativo. No ano passado, Peter Sagan faturou 20 mil euros só nesta categoria.

 

O prêmio por equipes também contempla diariamente com 2.800 euros o melhor time, prêmio que é calculado pelo tempo dos três primeiros ciclistas de cada equipe ao cruzarem a meta. No pódio em Paris, a equipe campeã embolsa 50 mil euros, a vice fatura 30 mil, a terceira equipe leva 20 mil, a quarta 12 mil euros e a quinta melhor equipe fica com 8 mil. No ano passado a equipe britânica Sky embolsou 600 mil euros na participação vitoriosa no Tour de France. Já a equipe Drapac faturou um total de 14.100 euros.

Please reload

Posts Em Destaque

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo